Skip to content

Em Busca de Novos Caminhos

Outubro 1, 2009
foto: destinomundo.blogspot.com

foto: destinomundo.blogspot.com

           Desde a última vez que foi pesquisado, em 2006, o número de jovens estudando em países estrangeiros já havia aumentado de 16 mil para 21,3, contabilizando um aumento de 30% a mais do que em 2002, quando começou a pesquisa feita pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). Os novos dados, ainda não publicados oficialmente, apontam que estes números continuam crescendo.

Este aumento deve-se ao fato de que cada vez mais o sonho de estudar em países estrangeiros tem crescido nos objetivos dos brasileiros, ora por motivos de acréscimo de conhecimento científico, ora pela diversão.

Independente disto, dois pontos são os mais relevantes, a valorização do currículo profissional e o aprimoramento da outra língua. Como afirma a estudante de jornalismo da UFRN, Nathália Veríssimo, 24 anos, que atualmente estuda o penúltimo semestre em Londres, na Golders Green Collegem: “Como estudante de jornalismo, a fluência no inglês abre muitas portas. Quando voltar para São Paulo terei muitas oportunidades de emprego”.

Segundo o professor da UnB e especialista em educação superior, Erasto Fortes, para o universitário é mais interessante passar apenas uma parte de sua graduação morando fora. “Eles têm contato com a cultura de outro país, em um ambiente acadêmico bem diferente, mas têm a base da formação brasileira”, afirma o professor.

 COMO IR?

Uma das opções para estudar fora, e a primeira cogitada, é procurar alguma agência particular de intercâmbio e individualmente escolher o destino e a universidade. Outra é a forma independente, procurar sozinho para onde quer ir, porém é um método arriscado. Entretanto, a forma mais utilizada atualmente, tem sido a busca por  instituições brasileiras de ensino superior que possuam convênios com universidades estrangeiras e assim prosseguir com os estudos nos lugares conveniados. Geralmente são três tipos de programas que as Universidades, públicas e privadas, oferecem ao aluno. São eles:

  •  Cursar alguns semestres em escolas conveniadas 
  •  Tentar promover acordos com outra instituição, a de preferência do aluno. Neste programa, o aluno pode não se isentar das taxas cobradas no exterior.
  •  Programa de duplo diploma, que nem sempre é oferecido para todos os cursos e por todas as instituições. Nesse caso o aluno cursa parte de sua graduação fora do país e parte no Brasil, proporcionando o direito a dois diplomas, um brasileiro e outro estrangeiro. 

O que diferencia um programa de uma universidade pública de uma particular é o custo. Os alunos das instituições privadas devem continuar pagando pelo menos uma parte da mensalidade, a qual varia de acordo com cada faculdade. Já entre as universidades públicas, há programas que isentam o aluno de qualquer mensalidade e  dependendo do caso, ainda há oferta de bolsas para alguns custos extra-acadêmicos. Além disso, dependendo do programa, é oferecida bolsa-auxílio para suprir os gastos com moradia, alimentação e transporte.

 Mas para poder participar é necessário passar por um processo seletivo que varia de faculdade para faculdade. Este processo possui diversas etapas, sendo uma delas a análise de desempenho e notas no curso.

PARA QUEM QUER IR

Para quem tem a pretensão de ir estudar fora, vale a pena checar estes sites selecionado pelo Jornal O Jornal. Os sites apresentam dicas de destinos e de como começar a programar sua viagem.

 PARA QUEM VAI

 Para quem tem certeza que vai, segue abaixo o passo-a-passo antecedente da viagem e também o link para o site do Departamento da Polícia Federal, onde se encontra os procedimentos para a retirada do passaporte e do visto

1. O estudante completa e envia o Formulário de Inscrição, seja por fax, correio, email ou Internet. Sua inscrição deve ser recebida no máximo até 4 quatro semanas antes da data de início ou a Taxa de Matrícula Urgente será acrescentada.

2. A escola de Intercâmbio te envia o invoice indicando os valores a serem pagos.

3. O estudante então envia o pagamento inicial à escola. Para significativamente aumentar as chances de obter o visto, seja de Turista ou Estudante, recomendamos pagamento integral.

4. Assim que a escola receber o pagamento inicial, será enviada a Carta de Aceitação ao estudante e um novo invoice com os valores restantes à serem pagos.

5. O estudante leva toda sua documentação mais a Carta de Aceitação ao Consulado , ou a seu agente de viagens, para solicitar seu visto.

6. Assim que o visto for obtido, o estudante deve informar a escola e fazer o pagamento do valor restante, no máximo até 4 semanas antes do início do curso.

7. Para aqueles estudantes que solicitarem Recepção no Aeroporto, os dados do vôo devem ser enviados à escola no máximo até 2 semanas antes de sua chegada lá.

8. Uma vez que estes dados tenham sido recebidos, a escola de Intercâmbio no exterior irá te fornecer todas as informações de seu curso, telefone de segurança 24 horas, como chegar até a escola, sua Família Anfitriã e Recepção no Aeroporto, proporcionando a você uma viagem completamente tranquila e segura.

(fonte: http://www.intercambiocultural.org/como-fazer-intercambio.htm)

Anúncios
No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: