Skip to content

Stupakoff: a celebração de uma fotografia inigualável

Outubro 13, 2009
Jardins de Boulogne, Paris, s/d.

Jardins de Boulogne, Paris, s/d.

O Instituto Moreira Salles, em 20 de agosto, abriu a exposição Otto Stupakoff. Fotografias, com 70 obras do fotógrafo. Reunindo uma pequena retrospectiva do trabalho de Otto, a exposição é baseada em três temas preferenciais: moda, mulheres e retratos de celebridades. A mostra é uma homenagem ao trabalho de Otto, falecido dia 22 de abril deste ano, e uma celebração da obra de um dos grandes fotógrafos de moda do país.

Quando o fotógrafo morreu, aos 73 anos, em abril último, o escritor e cronista do jornal O Estado de São Paulo, Ignácio de Loyola Brandão, amigo de longa data de Otto, lembrou que “era uma ironia um homem rodeado pelas pessoas mais incríveis durante a vida ter chegado ao fim sozinho, num flat, no Itaim”. Parece inexplicável que o primeiro fotógrafo de moda do Brasil, tivesse morrido no ostracismo e pobre depois de toda uma trajetória bem vivida.

Stupakoff foi o primeiro fotógrafo de moda brasileiro. No auge de seu sucesso no Brasil, em 1965 mudou-se para Nova York e colaborou com diversas publicações: desde Vogue, Elle até Life e Look Magazine. Considerado pelo fotógrafo Bob Wolfenson “a figura do fotógrafo charmoso, sedutor, aventureiro”, Otto registrou imagens de personalidades como Richard Nixon, Truman Capote, Grace Kelly e Jack Nicholson.

Acompanhou o nascimento de Brasília, a convite de JK, e flagrou na praia um dos criadores da bossa nova: é dele uma das melhores fotos de Tom Jobim tirada em 1957. De volta ao Brasil em 2005, foi homenageado pela São Paulo Fashion Week, com a mostra Moda sem fronteiras. Era, então, “o homem que eu queria ser”, para Bob Wolfenson e também como lembrou Loyola Brandão por ocasião de sua morte, “o máximo em fotografia de moda”. Todo mundo queria um portrait feito por ele, escreveu o cronista.

Medusa, Nova York, 1987

Medusa, Nova York, 1987

Com a apresentação de Bob Wolfenson, junto com a exposição, o IMS também lançou o livro Sequências, que resgata ensaios feitos por Otto: “ao combinar imagens que originalmente não pertenciam à mesma sequência, é que o Sequências inova a forma de se enxergar a obra de Otto Stupakoff”, destaca Wolfenson. O livro “cria novas sequências, relê e reassocia imagens feitas em contextos e épocas diferentes”, continua. Também trás textos inéditos escritos por Otto e suas últimas fotos tiradas em vida, pelo fotógrafo Juan Esteves.

Em 2008, sua obra fotográfica foi incorporada pelo Instituto Moreira Salles, que hoje, tem o maior acervo do país no que se diz respeito à fotografia. O IMS comprou 16 mil fotografias do acervo deste que foi pioneiro não só no registro de moda, mas também, um dos principais nomes do fotojornalismo brasileiro.

INFORMAÇÕES:

Otto Stupakoff. Fotografias. Até 22 de novembro de 2009. Horário de visitação: de terça a sexta, das 13h às 19h. Sábados e domingos, das 13h às 18h. Entrada franca. Instituto Moreira Salles – São Paulo. Rua Piauí, 844, 1° andar, Higienópolis. Tel.: (11) 3825-2560

Livro: Sequências – Otto Stupakoff. 216 pgs. R$ 62,00. IMS.

***Nos meses de outubro e novembro, a cidade de São Paulo é quase a capital da fotografia. Pipocaram exposições em toda a cidade. Algumas -além do Stupakoff-, que valem a pena conferir estão a baixo, não perca!

Magnum Photos: o festival apresentará filmes longa-metragens e curtas dos fotógrafos ElliottErwitt, Martin Parr, Bruno Barbey e StuartFranklin além dos trabalhos fotográficos de alguns integrantes da Magnum Photos. Centro Cultural B_arco Rua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 425 – Pinheiros. Segunda a sexta, das 11h às 19h. Sábados, das 11h às 15h. Tel: (11) 3081-6986. Ingressos: Grátis. Até 12 de Novembro.

Henri Cartier-Bresson: exposição fotográfica com seleção de cerca de 130 das melhores obras de Cartier-Bresson, ampliadas sob sua supervisão e oriundas da agência Magnum Photos, criada por ele em 1947. SESC Pinheiros. Rua Paes Leme, 195-Pinheiros. Terça a sexta, das 13h às 21h30, aos sábados, das 10h às 21h30 e domingos e feriados, das 10h às 18h30. Até 22 de novembro.

Robert Doisneau: A Renault de Doisneau revela registros produzidos pelo célebre fotógrafo nos dois períodos em que trabalhou para a montadora francesa em comemoração ao Ano da França no Brasil. Centro Cultural Fiesp-Ruth Cardoso. Av. Paulista, 1313. Metrô Trianon-Masp. Terça a sábado, das 10h às 20h. Segundas, das 11h às 20h. Domingos, das 10h às 19h. Entrada franca. Até 6 de dezembro.

Walker Evans: 50 anos de carreira de um dos maiores nomes da fotografia mundial. Composta pela principal coleção do grande retratista da América do Século XX, em sua maioria em preto e branco. MASP (Museu de Arte de São Paulo). . Av. Paulista, 1.578 (Cerqueira César).  De terças a domingo. Das 11h às 18h. Às quintas-feiras, das 11h às 20hTel: (11) 3251-5644. Ingressos: R$ 15,00 e meia-entrada. (Gratuito até 10 anos e acima de 60 anos. Às terças-feiras a entrada é gratuita). Até 10 de Janeiro.

Anúncios
No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: