Skip to content

Entrevista com o presidente do DACAM

Outubro 28, 2009

por Yael Peretz e Isabelli Zucheli

Entrevista com Thiago

Chapa Ello

O fato da Koine não ter sido chapa única interferiu de alguma forma a gestão?

Da forma que foi, talvez, o grande problema quando a Falange não conseguiu homologar, porque acabou lendo errado o Edital e passou do horário, era para entregar a documentação 20h e eles entregaram as 20:30. Ai, pô, é rigoroso? Mas é que se você abre uma brecha no Edital você pode ser impugnada e meu publico pode perder dentro de uma ação e as pessoas podem dizer que o processo eleitoral não é valido. Começou muito errado, o grupo não foi fundado por lideranças internas e sim por externas. Foi um grupo estabelecido e não montado entre o Guilherme, Thiago e Marcel. E eu era um moleque, tinha acabado de entrar no Mackenzie. Era um grupo muito virgem de diretório para estar entrando, o que era antigo, o grande conhecimento do diretório acadêmico eu não tinha , talvez isso pesou  mais num grupo do que ter sido disputado como chapa única.

Como presidente deve ser duro enfrentar tantas críticas.

É um desgaste muito grande concorrer a uma eleição, é uma micro-política. Você é uma pessoa publica em uma esfera muito menor. Você acaba tendo uma visibilidade maior e é alvo de críticas argumentadas ou não. Quantas vezes alguém pode ter dito “Meu aquele idiota ai é o presidente do DACAM, nunca vi esse cara falando comigo” e quantas vezes alguém que disse isso foi conversar com essa pessoa. Isso desgasta muito.

O que você acha de ter eleição com apenas uma chapa concorrendo?

É uma realização, fico feliz com essa eleição de chapa única. Não é porque os grupos não participaram é uma chapa única porque os ideais se tornaram os mesmos. Sãos líderes que transformaram isso do jeito que é. Hoje é bonito falar que é uma chapa única.

Quais são os requisitos que uma chapa tem que ter?

Uma chapa tem que vir munida de projetos. Nunca vai conseguir mostrar seus ideais para um grupo sem nada. Tem que ter muita experiência ou alguém que ajude, mas se não tiver experiência a vontade já conta.

Quais melhorias ainda devem ser promovidas no DACAM?

Tudo tem como se melhorar, o grande erro de um líder é achar que esta bom e não precisa melhorar. O dia que você parar, sentar e pensar que não precisa melhorar a carreira, então acabou, parou de viver aquilo. A parte acadêmica precisa melhorar, a social precisam ser promovidos eventos mais em conta para o aluno. O DACAM ainda precisa ser mais respeitado dentro do Instituto. Esses dias eu estava resolvendo coisas das eleições do DACAM quando soube que a eleição, que tinha sido marcada há trinta dias e já tinha sido divulgada no Edital, ia ser na quarta feira da Semana da Comunicação, fizemos um anexo e mudamos para o dia 29. A nossa excelentíssima diretora do curso não queria liberar as urnas para esse dia, ela disse que não tinha um espaço livre pois estava marcado um evento. Nos representamos 4000 mil alunos, não existe “não tem espaço”, tem que conseguir. Depois conversamos e resolvemos que a votação vai ser no mesmo local de todos os anos, a lateral no térreo do prédio.

Como surgiu o grupo Ello?

Eu decidi sair por ideologia diferente e nisso o Eduardo, Vicente, a galera do diretório que ajudava a fazer muitas coisas veio junto. Eu estava desesperado, nacorreria para montar alguma coisa e essa molecada estava do meu lado. Mas a chapa não tinha nome nem diretoria, ai eu sentei com eles e falei que tava precisando de gente assim, com essa ideologia, que não tinha essa de orgulho. E assim foi se formando um outro grupo. Montamos uma diretoria muito grande, foi quando entrou o Tom, Andrezão, Andrezinho, carioca, todos esses meninos, o Fel. Pra você ver, o Fel, quando as coisas subiu, o Eduardo, o Vicente subiram como executivo, o Fel trabalhou tanto quanto os dois. O Fel não era nem diretoria, era colaborador. Então é essa ideologia que a gente acabou batendo. Fazíamos reuniãoes nas salas de aula, a sala no 36, chamavamos todo mundo, colaborador, representante de sala, todos que quisessem participar, podia ter qualquer diferença com o diretório acadêmico, era um negocio aberto. E foi mais ou menos isso que foi feito agente acabou juntando bons ideais com pessoas que estavam afim de trabalhar e acabou tirando tudo que era mania do diretório. Tinha muita gente que tava no diretório só porque conhecia gente. Que nem o Gustavo, o Gustavo não era uma pessoa popular, se fosse pra pegar alguém popular po, eu conheço gente que conhece a manha inteira entendeu.

E quando vocês assumiram, o diretório estava organizado física e estruturalmente?

O diretório tinha um piso que era muito feio, parecia de banheiro, a nossa televisão era do CRT porque a do DACAM tinha queimado com uma descarga de energia. Agora lembrei que tenho que colocar um estabilizador nas TVs novas, agora que começa a época de chuva. A estrutura de computadores não era boa e a internet era muito lenta. Na sala de TV entravam seis pessoas e não cabiam mais sofás. Enfrentei varias brigas com as pessoas que estavam acostumadas com o passado os que pensavam que o Executivo manda mais. Eu falava que o executivo tinha que representar e se um colaborador trabalhava mais ele ia encabeçar o projeto.

Qual o maior aprendizado que um diretório acadêmico da?

Experiência e contato. Estou há três anos e meio na universidade e acho que aprendi mais no diretório acadêmico do que na faculdade. Tive que saber administrar, liderar, como aprovar um projeto, como convencer um patrocinador, ou seja, a gente se transforma em um administrador de uma empresa. Inclusive temos CNPJ, seu nome esta em jogo, você responde por qualquer problema.

Como é o cotidiano no DACAM?

Sempre fui um garoto que tive meus ideais e luto ate o final para acontecer eles, não ligo se passar a noite em claro, se não tiver férias. O primeiro semestre era muita correria, eu estudava de manha, vinha de Osasco e ficava até tarde estudando e resolvendo coisas do DACAM. Sempre fui muito dedicado porque era cobrado pela minha família por não ter condições de estar pagando DP. Agora eu tenho a condição de morar aqui na frente do Mackenzie e isso me da mais tempo.

Quais as principais mudanças que a chapa Ello consolidou? Quais benefícios foram promovidos ao aluno?

A primeira coisa que eu coloco é essa aproximidade com o aluno. Antigamente quem trabalhava em diretório acadêmico era elitizado e muito fechado, eram só três pessoas. Hoje é muito mais democrático. Promovemos a reforma da sede que estava  muito ruim, pintamos, trocamos piso, remanejamos o espaço, colocamos duas TVs de plasma, videogame, compramos sete computadores de ponta, fizemos quatro palestras e ajudamos alunos para participar de congresso como o Marcos que foi ao Rio para competir como melhor blog. Hoje temos uma biblioteca de biblioteca e amadurecemos o projeto de carteirinha de benefícios para o alunos.

Anúncios
No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: